A técnica, a beleza, o figurino, a forma física… – A busca pela bailarina perfeita

Por Maristela Rosa

Dança com veu 1

Esse título é o resumo do que ronda a cabeça de toda bailarina, não importa a nacionalidade, a idade, o tempo de carreira, nem mesmo o estilo de dança que se pratique, estamos sempre em busca da perfeição. Ainda que pra cada uma essa palavra tenha um significado prático distinto – pra uma é a postura impecável, pra outra é a flexibilidade máxima, pra outra é um quadril extremamente solto – no fim estamos sempre em busca do que não temos e acreditamos ser importante.

Nesses últimos dias tenho pensado muito nessa busca incessante pelo ideal, nos padrões que nós mesmas colocamos, nas barreiras que nos impomos e nas “verdades” ditas por aí que teimamos em acreditar. Há pouco tempo estive me perguntando por que ainda me dedico à dança, o que estou procurando, aonde tudo isso vai me levar? Me vi sem dinheiro e as voltas pra pagar aulas de dança, viagens para eventos de dança, figurinos, workshops…De repente parei tudo e me perguntei: Pra quê?

Estou neste mundo da dança há 4 anos e toda cobrança de ser melhor, ter uma técnica cada vez mais apurada, ter um leque cada vez maior de movimentos começou a parecer normal, parte do meu cotidiano. De repente eu já não sabia mais porque, mas estava sempre correndo atrás de nova capacitação, pensando em cursos de formação, aulas particulares… Cada work que perdia era como uma facada na minha consciência.

Bom, eu venho me questionando hoje. Ainda quero e busco meu aprimoramento na dança, mas não a qualquer custo, nem por impulso. Pensando em tudo que já vi, ouvi e vivi na dança, percebi que a busca pela perfeição é como a corrida para alcançar o vento, inútil. Estudar, se aprofundar é sempre importante em qualquer área mas, mais do que isso, saber o que se está fazendo e porque se está fazendo é fundamental.

Estudo e me dedico a dança pra ser a melhor profissional que posso. A dança é a arte com que me expresso… Alguns cantam, alguns pintam outros esculpem; eu danço! Ser perfeita pra quê? Eu quero é ser feliz!

Se tem uma bailarina incrível da qual eu sou muito fã, ela é Esmeralda – a bailoca! Um exemplo de dedicação a dança, sem perder a alegria em sua arte. Além de uma dança única Esmeralda também tem opiniões com as quais eu concordo. Nesse vídeo ela fala da lenda de que quanto mais passos melhor a interpretação de uma bailarina e ainda deixa um recado para os profissionais de dança e formadores de opinião: cuidado com que exigem das  alunas e bailarinas!

Assistam porque é uma reflexão que vale a pena ser feita:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s